A Sustentabilidade como Diferencial Competitivo para as Cooperativas de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. O diretor-técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos, apresentou palestra sobre o tema na manhã desta quarta-feira (22), no 9º Congresso Brasileiro de Cooperativas de Crédito. Com apoio do Sebrae, o evento é realizado pela Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras), e segue até esta quinta-feira (23) no Centro de Eventos de Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul.
Carlos Alberto dos Santos iniciou sua apresentação falando sobre mudanças econômicas, sociais e ambientais. Ele também enfatizou que não se pode restringir o tema sustentabilidade à palavra meio ambiente. “É preciso pensar nas pessoas e na economia de uma forma geral”, afirmou. Segundo o diretor, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), realizada em junho, consolidou essa visão ampla.
O diretor-técnico do Sebrae chamou a atenção para o fato de que é preciso encarar as normas ambientais não como punição, mas como uma nova perspectiva de mercado. “Tendências apontam que os consumidores perguntarão cada vez mais a origem dos produtos e serviços. Essa atitude deixará de ser nicho para virar padrão. Exemplo disso são os produtos orgânicos, mais conceituados pelo aspecto da saúde”, citou.
Carlos Alberto dos Santos alertou que fatores como mudanças climáticas e crescimento populacional exigem uma nova maneira de se produzir e de se estabelecer modelos de negócios. Ele falou da necessidade de se adaptar essas estruturas ao poder de compra de uma classe média emergente formada por milhões de pessoas. O diretor destacou que a produção cresceu quatro vezes mais que a população, porém, o consumo de energia aumentou em nove vezes, o que pesa na questão ambiental.
O palestrante assinalou ainda que o tema precisa fazer parte do cotidiano das pessoas, em espaços como  escolas e cooperativas. “Temos de pensar globalmente e agir localmente”, pontuou. Segundo ele, a poluição provoca problemas climáticos, que põem em risco a produção e os bens materiais.
Melhorias
Em sua exposição, Carlos Alberto dos Santos também dedicou espaço ao crédito para micro e pequenas empresas (MPE) e empreendedores individuais (EI). O diretor-técnico do Sebrae ressaltou a melhora no ambiente de negócios citando o aumento da sobrevivência de empreendimentos no mercado. Como exemplos, ele citou o crescimento do crédito de maneira sustentável, do maior número de pessoas que empreendem por vislumbrar uma oportunidade, e da melhora no grau de escolaridade dos empresários. O palestrante falou sobre o fenômeno da formalização no Brasil, com destaque para o regime tributário diferenciado  – o Simples Nacional -, que reúne mais de 4 milhões de MPE, e a criação da figura jurídica do Empreendedor Individual (EI).
Carlos Alberto dos Santos enfatizou ainda a necessidade das cooperativas de crédito apostarem na tecnologia da informação, na customização dos serviços e na melhoria e segurança dos mecanismos de concessão. Também abordou o papel da parceria das cooperativas com as sociedades de garantia de crédito (SGC), e ressaltou o crescimento do mercado para este modelo econômico junto a entidades como as cooperativas de produtores.
No encerramento da palestra, o diretor-técnico reforçou a parceria do Sebrae com instituições como Sicoob, Sicredi,  Unicredi, Ascoob, Cresol e Cecred. A iniciativa vai durar de2012 a2014 e levará boas práticas de gestão às cooperativas, com foco no atendimento para MPE e empreendedores individuais. Dezesseis estados aderiram ao acordo, num universo de 138 cooperativas. A meta é atender mais de meio milhão de empreendimentos de pequeno porte que são clientes das cooperativas e conceder crédito superior a R$ 2,5 bilhões.
Agência Sebrae
Tagged with:
 

Comments are closed.