Por Conrado Rosa

A Greener esta presente na Rio +20 e traz algumas informações interessantes abordadas até o momento.

Dia 19 de junho, no lançamento da ISO 14005, evento dentro da programação da parceria SEBRAE e Rio +20, Haroldo Mattos de Lemos, presidente do Comitê Brasileiro do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, fez uma das melhores sínteses do que significa sustentabilidade:

1 Garantir os recursos naturais;

2 Não ultrapassar os limites da biosfera em assimilar resíduos e poluição;

3 Reduzir a pobreza.

Haroldo ainda traçou uma evolução da sustentabilidade no meio empresarial.

Nas décadas de 50/60 a degradação ambiental era visto como o preço do progresso. Não existia preocupação ambiental na produção.

Nas décadas de 70/80 as empresas começaram a fazer um controle dos impactos no final do processo de produção. Iniciou-se uma consciência sobre a responsabilidade ambiental. Idéia de perda de competitividade ao utilizar sustentabilidade na estratégia. Ações reativas.

Na década de 90, introdução de Sistemas de Gestão Ambiental, ecoeficiência, auditorias, integração da responsabilidade ambiental com a ISO 14000.

Na década 2000, consciência da responsabilidade na cadeia produtiva. Ações sociais pró-ativas. Integração da responsabilidade ambiental e social.

Ainda trouxe o dado fornecido pela ONG WWF de que a humanidade já consome 30% mais recursos naturais do que o planeta é capaz de produzir.

Sobre a Rio +20, Haroldo acredita que a sociedade está fazendo 10 vezes mais que os governos. Muito provavelmente não tenhamos compromisso dos governos com metas específicas em prol da sustentabilidade.

Todavia, a mobilização vista na Rio +20 da sociedade, através de empresas, ONG´s e população, irá puxar e pressionar governos para iniciativas sustentáveis.

Para finalizar concluiu, “Acabou a era da abundância, estamos na era da escassez”.

No dia 20 de junho o sociólogo Juarez de Paula, Gerente da Unidade de Atendimento Coletivo do SEBRAE, trouxe problemas mundiais como o aumento populacional, desigualdade social, crescente consumo de energia e as mudanças climáticas ocorridas nas últimas décadas. Confirmando através de estatísticas e catástrofes ambientais o aquecimento global. Que é agravado com o aumento de lixões e a conseqüente emissão de gases do efeito estufa

Mais especificamente sobre o Brasil apresentou a mudança de pirâmide social para losango social. Que demonstra o avanço brasileiro no desenvolvimento humano. Todavia, o Brasil ocupa a 73º posição de 169 países no Índice de Desenvolvimento Humano. O que demonstra um longo caminho a trilhar.

Em conversa tanto com Haroldo como Juarez, ambos afirmaram que a reutilização ainda tem muito campo para crescimento na redução da proliferação de lixões. Hoje focado muito na reciclagem que embora seja ótima, esta pulando uma etapa, tendo em vista o menor valor ambiental, se comparado a reutilização.

Tagged with:
 

Comments are closed.